Margarida Jerónimo

Apresentamos Margarida Jerónimo, mais uma pessoa apostada no caminho para a sustentabilidade em que Seia está envolvida.

Onde trabalha?

Trabalho há 5 anos na Câmara Municipal de Seia como técnica superior na Divisão de Acão Social e Saúde.

O que faz?

Trabalho no Município, na Divisão de Acão Social e Saúde. Trata-se de um tipo de trabalho muito associado à pessoa, ao indivíduo. Portanto, posto de uma forma simples, faço acompanhamentos e atendimentos nas áreas psicológicas, pedagógicas, sociais e da saúde. Paralelamente a este trabalho institucional sou Mestre em Educação na área do Desenvolvimento Pessoal e Social com formação de base em Psicopedagogia Clínica, sou Mediadora Familiar e Formadora. Pertenço a vários movimentos associativos: na Associação de Bombeiro Voluntários de Seia tenho funções de vice-presidente, sou voluntária no Guard’Africa (grupo de voluntariado missionário), faço parte dos órgãos sociais da ARTIS (Associação de Arte e Imagem de Seia) e estou também ligada a algumas plataformas internacionais que tratam de questões sobre migrações, igualdade de oportunidades e de género. Sou também membro do grupo Senna em Palco – Teatro Residente da Casa Municipal de Cultura de Seia.

Diga-nos uma coisa que gosta muito e uma que detesta?

Gosto muito da minha família e dos amigos. Gosto de fotografia, cinema, teatro, literatura, música, de conversar… e de “estar à mesa”, onde há histórias, estórias e onde o tempo e o espaço se partilham com quem nos é muito especial. Não gosto da inveja, da falta de humildade, detesto as injustiças e a mentira, não tolero a falta de educação.

Colabora na Agenda 21 Local de Seia (A21L) desde o início. Como explicaria aos Senenses o que é?

A21L é um conceito que surgiu há cerca de 20 anos, na Cimeira da Terra. Trata-se de um processo dinâmico, onde as pessoas participam ativamente com vista à melhoria da qualidade de vida da sua comunidade. A implementação do processo da Agenda 21 Local em Seia partiu do interesse da Câmara Municipal. O objetivo é coresponsabilizar todos os agentes locais na gestão do concelho e fomentar o trabalho conjunto e próximo entre município e cidadão/associação/coletividade. No fundo, é conseguir um ponto de equilíbrio entre o desenvolvimento económico, a sociedade e a proteção ambiental. O envolvimento das forças vivas concelhias é prioritário, estimulando assim a atuação cívica, a democracia participativa e o debate construtivo de ideias.

Como acha que os Senenses podem colaborar?

Os Senenses têm o direito, mas também o dever, de colaborar. Contudo considero importante que consigamos envolver e informar cada senense. O sucesso da A21L passa pela motivação e participação de todos os elementos da nossa comunidade, sejam eles de Fontes do Cide (um lugar da freguesia da Vide, que se situa mais a Sul no Concelho) ou da sede de concelho, Seia. Trata-se de exercer um papel de cidadania ativa. As pessoas do concelho de Seia vão colaborar. Os atos podem ser iniciativas de voluntariado em campanhas de limpeza florestal ou urbana, em campanhas de plantação de árvores ou sementeiras, na realização de atividades de compostagem, no reaproveitamento das águas pluviais, na divulgação e valorização dos recursos naturais e patrimoniais, na participação de concursos de fotografia temáticos, ou ainda na organização ou participação em conferências/workshops/oficinas. Também se podem associar na comemoração de datas (ex.: Dia da água, Dia Mundial da Terra, Dia da Saúde Mental, Dia sem Carros, Dia Mundial da Liberdade, Dia do Coração…), podem divulgar os produtos regionais (ex.: queijo, pão, os bolos, as compotas, os tecidos, os frutos secos, os enchidos, a cultura gastronómica, a altura e a forma de utilizar a terra, as boas práticas nas sementeiras), podem divulgar e preservar contos e lendas regionais. Há imensas possibilidades e formas simples de colaborar, basta começar e querer fazer parte da mudança.

(Entrevista realizada em Novembro 2011)